Destinos alentejanos perfeitos para a lua de mel

É comum ficar indeciso na hora de escolher o lugar perfeito para passar a lua de mel. Afinal, são meses de preparação e muito trabalho para os noivos até o grande dia, e eles merecem um destino que reúna gastronomia singular, paisagens que inspiram romance e os vinhos mais apreciados do mundo.

Se você, assim como nós, também pensou no Alentejo, saiba que acertou em cheio! Confira agora nossas dicas de destinos por essa região exuberante e com atrações que vão encantar os recém-casados.

Évora

A principal cidade alentejana não podia ficar de fora desta lista. Repleta de pontos turísticos ímpares como o Templo de Évora e a sinistra Capela dos Ossos, vai ser difícil para o casal não se apaixonar pelas ruas do centro histórico tombado como Patrimônio Mundial pela UNESCO. As ofertas gastronômicas também são variadas, e convidam para um jantar romântico acompanhado de uma boa taça de vinho. Passar uma tarde na praça do Giraldo é outra sugestão de passeio agradável.

Odemira

Uma simpática vila repleta de casinhas caiadas de branco orientadas pelo rio, com uma paisagem que faz qualquer um se apaixonar. Aqui o casal encontrará artesãos de cestos, móveis, cerâmicas e tecelagem. Algumas dessas opções são perfeitas para levar como recordação ou decorar o novo lar. O rio é outro atrativo que não pode ser esquecido. Os visitantes realizam passeios de barcos curtindo a natureza até a foz, onde fica Vila Nova de Milfontes.

Castelo de Vide 

Localizada próxima à fronteira com a Espanha, Castelo de Vide lembra um vilarejo de contos de fadas. Suas ruelas estreitas guardam diversos segredos a serem descobertos por quem se aventura por ali, como o castelo localizado ao centro. Vale também um passeio pela rua das Espinosas, que remete ao célebre filósofo do século 17, Spinoza, filho de um habitante do Castelo de Vide.

No ponto mais alto, ainda é possível ver outras aldeias e até as terras espanholas.  Durante o pôr do sol, o casal irá testemunhar um dos espetáculos mais belos da região, admirando o brilho das planícies de forma sem igual.