A história dos romanos no Alentejo

Os romanos foram grandes conquistadores. De fato, por mais de 700 anos, o Império Romano ocupou Portugal construindo cidades e estradas e cultivando a terra. Por isso, sua passagem por terras portuguesas deixou marcas duradouras e que podem ser vistas até hoje. Veja abaixo alguns desses locais que contam um pouco da história romana em solo alentejano.

Templo Romano em Évora

Primeiramente, vamos falar do maior monumento romano do Alentejo, que se encontra na cidade murada de Évora. O Templo Romano possui 14 colunas de mármore que se erguem sobre uma base elevada no centro da cidade. É o edifício romano mais bem preservado de Portugal e, sobretudo, um Patrimônio Mundial da Unesco.

Cidade Romana de Miróbriga

Em segundo lugar, perto de Santiago do Cacem, há a Mirobriga Celticorum, que foi uma vila romana muito próspera entre os séculos 1 e 4. Até hoje, é possível ver suas extensas ruínas e as famosas casas de banho. Além disso, em Miróbriga está o único hipódromo remanescente de Portugal com uma planta baixa completamente intacta.

Ruínas Romanas de São Cucufate

Ao norte de Beja, as ruínas da vila romana de São Cucufate impressionam os visitantes, uma vez que a casa de campo do local mantém grande parte de sua estrutura externa ainda de pé. Esta vila foi iniciada no século 1 e foi abandonada em meados do século 5. Nesse meio tempo, cresceu muito. As escavações deste sítio revelaram importantes artefatos históricos romanos.

Villa Romana de Pisões

Esta vila foi um importante mercado fornecedor para a cidade de Beja até o século 4. Entretanto, depois de ser abandonada, a vila de mais de 40 quartos só foi redescoberta acidentalmente em 1967. Em um destes quartos foi encontrado um dos mais belos pisos de mosaico do mundo, com motivos naturais e desenhos geométricos complexos. Restos de construções agrícolas e uma vinícola também foram encontrados, bem como um banho romano privado e uma barragem de pedra.

Cidade Romana de Ammaia

Fundada como vila no século 1, Ammaia entrou em declínio em meados do século 4, conforme os moradores se mudaram para a fortaleza de Marvão, mais defensável no topo da colina, logo acima dela. Hoje, ainda é possível ver partes de sua muralha, um portão e uma enorme praça pavimentada, além de ruínas de casas. Quem visita Marvão pode avistar do alto a vila romana logo abaixo dela.

Passado romano de Mértola

Sem dúvida, a vila ribeirinha de Mértola foi um importante porto do Alentejo Romano, visto que ligava Portugal aos portos comerciais do Mediterrâneo Oriental. Durante uma reforma, foram descobertas ruínas de uma casa romana, que hoje abriga um museu com os artefatos encontrados nas escavações. Além da casa romana, existe ainda na cidade uma grande necrópole dos romanos.

Ruínas Romanas de Tróia

Os romanos também deixaram vestígios no litoral. De fato, em Tróia, na Península de Setúbal, ficam as ruínas do maior centro industrial de salgas de peixe do Império Romano! No século 4, aquela área era conhecida como Ilha de Ácala, e ainda é possível explorar fábricas, casas, túmulos e mais. Uma das coisas mais legais que se pode fazer lá, além de descobrir toda a história de Tróia, é o programa Ementa Ruínas, um passeio que inclui uma refeição verdadeiramente romana, com pratos da época.

Outros vestígios romanos no Alentejo

Por fim, vale lembrar que há muito mais do legado romano para conhecer pelo Alentejo. Embora a lista acima sejam os lugares mais famosos, é possível encontrar vestígios da presença romana por toda a parte, como por exemplo, na ponte de Vila Formosa, na calçada romana de Torrão e no mosaico romano de Alter do Chão.