Évora, o coração do Alentejo

capa_evora

O Alentejo é cheio de pequenas pérolas escondidas, Herdades paradisíacas em meio a um horizonte descampado e distantes de qualquer sinal das cidade. Évora é o contrário disso: longe de ser um tesouro bem guardado, é o cartão postal da região, capaz de encher os olhos, tirar o fôlego, fazer disparar o coração e agradar (e muito) o estômago.

Conhecida como Cidade Museu, Évora tem mais de quatro mil anos. Seus monumentos, espalhados por um centro histórico que é Patrimônio Mundial da Humanidade pela UNESCO, contam histórias de diferentes civilizações que marcaram presença por ali.

Os romanos deixaram o imperdível Templo de Évora; os mouros, as arcadas da famosa Praça do Giraldo; os reinados de D. João II e D. Manuel I renderam a impressionante Igreja de São Francisco, onde está a Capela dos Ossos, tão sinistra quanto o nome sugere; já o período renascentista deixou o magnífico Aqueduto da Água de Prata, com sete quilômetros de extensão e que levou quase cem anos para ser construído.

Você pode visitar tudo isso e muito mais nesta cidade que fica a cerca de uma hora de Lisboa. Só a estrada que te levará até lá já vai te encantar, já que Évora é rodeada por natureza exuberante, com campos verdes e dourados.

A riqueza histórica vai muito além da herança arquitetônica nos arredores da cidade: o Cromeleque dos Almendres, por exemplo, consiste em 95 menires (pedras verticais) datadas de Pré-História! E isso é só uma parte de tudo que há para ser apreciado em Évora, seja pelo labirinto de ruelas de paralelepípedos ou pelos campos verdejantes ao redor.

O incrível Teatro Garcia de Resende apresenta vários espetáculos que você pode assistir depois de uma deliciosa refeição em um dos diversos restaurantes tradicionais da cidade. E não se esqueça de comprar algumas lembrancinhas típicas, como os acessórios de cortiça, roupas tradicionais como o capote (uma espécie de capa) e outros itens do artesanato local!