6 motivos para visitar as vinícolas alentejanas

Temos rótulos premiados e muitas vinícolas no Alentejo: mais de 250 produtores e vinhas que se estendem por mais de 20 mil hectares, com muitas variedades de uvas e tipos de produção, que resultam em aromas e notas exclusivos.

Confira abaixo os principais motivos para se esbaldar e visitar mais de uma vinícola durante sua estadia na maior região portuguesa.

As melhores paisagens do Alentejo
Em sua maioria, as vinícolas estão localizadas um pouco mais distantes das cidades alentejanas e impressionam por seus campos de vinhas e outros tipos de vegetação. Aproveite os trajetos para se deslumbrar com os panoramas bucólicos e desvendar os pequenos tesouros ao longo das estradas alentejanas.

Os variados tipos de produção
Prepare-se para conhecer a fabricação do vinho. Há vinícolas com produção em grande escala e outras que prezam pela simplicidade de uma técnica centenária e muito mais lenta. Para o estágio de armazenamento, há métodos distintos também: o mais comum é usar barris de carvalho francês. Porém, algumas fazem a fermentação em depósitos de inox, ou em talha, técnica ancestral de fermentação em grandes recipientes feitos de barro.

Em cada vinícola, uma atração diferente
Novas vinícolas significam novas atividades. Por exemplo: enquanto na Quinta do Quetzal, nos arredores de Beja, há exposições de arte contemporânea, a Adega Mayor, em Campo Maior, faz passeios de balão de ar quente e piqueniques.

Quanto mais vinho, melhor
Experimentar uma boa taça de vinho é uma experiência fascinante que permite conhecer o sabor, a textura e o aroma das bebidas. A prova vínica já é uma boa razão para ir a diferentes locais e saborear das mais diversas marcas e tipos, como tintos, rosés e brancos. Os iniciantes ainda podem aprender mais sobre como degustar, usando todos os sentidos para obter sensações únicas que só o vinho alentejano proporciona.

Os pratos da gastronomia singular
A experiência em vinhos fica ainda mais completa quando estes são harmonizados com as deliciosas comidas típicas, como carne de porco e cordeiro. Um bom exemplo é a Herdade da Malhadinha Nova, em Albernoa, que conta com um restaurante com pratos sofisticados, todos inspirados na culinária local.

Vinhas e sabores

Uma das características do vinho alentejano é a mescla de diferentes frutos da vinha. A Herdade do Esporão, em Reguengos de Monsaraz, planta mais de 40 tipos para produzir suas marcas. Entre as castas mais usadas para tintos estão Aragonês, Trincadeira e Touriga Nacional; para brancos, Antão Vaz, Roupeiro e Arinto. As variedades de solos encontrados no destino também determinam esses sabores.