Slow travel no Alentejo

O slow travel é uma tendência de viagem pós-pandemia que propõe desacelerar o ritmo e viajar de forma lenta, dando mais importância à qualidade, ao bem-estar e às escolhas conscientes. Nesse sentido, o Alentejo, região mais autêntica de Portugal, é um destino perfeito para quem quer curtir férias no estilo slow travel. Confira os principais motivos.

Contato com a natureza

O contato com a natureza é, sem dúvida, um dos pilares do slow travel. E o Alentejo possui um território marcado por campos dourados, vinícolas verdejantes, inúmeros rios e lagos, além de um litoral de tirar o fôlego. Com isso, os viajantes podem fazer diferentes atividades em meio à natureza e se hospedar em propriedades rurais, onde o descanso é absoluto e o amanhecer é ao som dos pássaros.

Estabelecimentos locais

Restaurante ‘A Escola’

Outra característica das viagens lentas é a utilização de serviços em estabelecimentos locais, o que permite ao viajante conhecer mais da cultura local. No Alentejo, a maioria dos hotéis e restaurantes é tipicamente alentejana. O incentivo à economia local é importante para o turismo no Alentejo e faz parte do conceito do slow travel. Confira opções de hospedagem alentejanas aqui.

Moradores simpáticos

O slow travel incentiva também o contato com novas culturas. Um viajante lento sempre tem tempo para parar e conversar com alguém que cruze seu caminho. Os alentejanos são extremamente simpáticos e adoram receber visitantes, além de falarem português. Por isso, vale a pena bater um papo com eles quando a oportunidade surgir. Aliás, é comum sair da região repleto de novos amigos.

Turismo de experiência

Esse tipo de turismo é muito valorizado no Alentejo. Isso inclui não só as atividades mais tradicionais, como passeios de bicicleta ou provas de vinhos, por exemplo, mas opções como workshops de gastronomia, criar seu próprio vinho ou a observação de estrelas. Criar experiências ricas e viver intensamente cada destino são motivadores do slow travel.

Viagem sustentável

A sustentabilidade é outro pilar do slow travel, que preza por roteiros, hotéis e atividades que tenham um impacto mais positivo no mundo. Como essa é uma preocupação de diversos empreendimentos alentejanos, é fácil encontrar restaurantes e hotéis que produzem refeições com vegetais produzidos organicamente por eles mesmos, passeios pelos vilarejos podem ser feitos a pé, e assim por diante.