Conheça a Serra de São Mamede

Se você conhece o Alentejo ou já leu alguns dos nossos posts, sabe que a nossa região é conhecida pela vocação rural, ou seja: suas paisagens são repletas de campos dourados tranquilos. No entanto, no nordeste alentejano, os turistas são surpreendidos com um cenário alto e verdejante em vez de plano e seco. Ali fica um parque natural deslumbrante, e é nesta área que se pode conhecer três destinos imperdíveis: Portalegre, Castelo de Vide e Marvão.

Primeira parada: Portalegre

Em primeiro lugar, visitamos Portalegre, que fica bem na entrada do Parque Natural da Serra de São Mamede, a duas horas e meia de Lisboa e uma hora e quinze de Évora, o principal destino da região.

Uma de suas atrações mais visitadas é o Museu das Tapeçarias da Manufatura de Portalegre, cujas peças únicas são feitas com técnicas de tear manual, sobretudo reproduzindo pinturas e desenhos com perfeição. São muito populares entre artistas contemporâneos.

Assim como no restante do Alentejo, a cidade é pequena e suas próprias ruas são charmosas e valem a pena ser vistas. Por isso, a dica é deixar o carro e passear a pé, parando no imponente castelo medieval, na Sé, que conta com um belos painéis de azulejos, na Casa Museu José Régio, onde viveu este poeta português, e na Igreja do Convento de São Francisco.

Atrações do caminho

Antes de se dirigir a Marvão, uma boa ideia é parar no Pico de São Mamede, o ponto mais alto do parque natural, que fica a 15 quilômetros de Portalegre. O local, situado a 1.025 metros de altitude, é um mirante que garante uma vista deslumbrante do entorno.

Logo depois está Portagem, um ótimo lugar para provar uma refeição tipicamente alentejana. Dois restaurantes recomendados são o Sever e o Mil-Homens. Entre as iguarias locais estão a açorda, o ensopado de borrego, o cabrito assado e os pratos com carne de caça, como perdiz e lebre. Para sobremesa, as pedidas tradicionais são a sericaia com ameixa de Elvas e a boleima.

Segunda parada: Marvão

Foto: Victor Carvalho

Marvão é uma vila medieval protegida por muralhas, inegavelmente um tesouro alentejano. De seu Castelo, é possível admirar a paisagem da região, que se estende até o horizonte.

Se um dia Marvão foi considerado um dos locais mais inconquistáveis de todo o reino português, hoje tem muita paz e sossego. No entanto, no verão, o vilarejo é um dos palcos do Festival Internacional de Música de Marvão, um evento de música clássica que esbanja autenticidade e recebe uma grande público. Este ano acontece entre os dias 24 de julho e 9 de agosto.

Assim como em Portalegre, passeio a pé também é a melhor pedida para explorar este local que conta com ruas estreitas de pedra, janelas floridas e outros recantos charmosos. Entre os lugares para visitar estão o Convento de Nossa Senhora da Estrela e as Igrejas de Santiago, do Espírito Santo e de Santa Maria.

Última parada: Castelo de Vide

A viagem segue por mais 11 quilômetros, chegando a Castelo de Vide. De longe, já é possível apreciar o imponente castelo rodeado por casinhas brancas. O cenário medieval é encantador, com um verdadeiro labirinto de ruas.

Embora seja charmosa como Marvão, com ruas de pedra e casinhas brancas, Castelo de Vide tem um diferencial: uma impressionante herança judaica, com uma antiga sinagoga onde hoje funciona um museu e vários sinais do culto de gerações hebraicas nas portas de granito. Além de subir ao castelo, vale a pena conhecer a Igreja Matriz de Santa Maria, onde ocorrem cerimônias de Páscoa que misturam as crenças cristã e judaica.

Para quem quiser explorar ainda mais a Serra, há diversas trilhas que podem ser percorridas a pé ou de bicicleta.