5 curiosidades que você só encontra no Alentejo

O Alentejo é uma região linda, autêntica e rica em cultura. Além disso, é cheia de destinos escondidos e curiosidades que vão muito além das atrações já conhecidas e indicadas pelos guias de viagem. Por isso, é imprescindível ir além das paisagens impressionantes e descobrir o que o Alentejo tem de mais diferente em sua próxima viagem ao destino.

Veja 5 dessas curiosidades:

A aldeia de Juromenha

Localizada à beira do Rio Guadiana, Juromenha é rodeada por muralhas e foi construída com a finalidade de defesa devido à sua localização estratégica. Mas é sua história que a torna tão fascinante, já que no século 17 foi refortificada pelos Templários e suas muralhas presenciaram grandes conflitos. Entre eles, as guerras Napoleônicas.

Após a Espanha confiscar as terras do outro lado do rio, perdeu seu status de aldeia em 1836 e, na década de 20, foi quase totalmente abandonada pelos residentes. No entanto, ainda resta uma centena de moradores orgulhosos por viverem em um vilarejo que já ocupou a honrosa função de sentinela do rio Guadiana.

Redondo, destino da cerâmica e do vinho

A pequena vila de Redondo reúne dois dos principais produtos artesanais do Alentejo: a cerâmica e o vinho. A cerâmica é robusta, brilhante e decorativa, com temas florais e cenas da vida no campo. Já o vinho local também é muito apreciado, sendo uma região DOC (Denominação de Origem Controlada) para efeitos de regulamentação.

Há excelentes opções de enoturismo, como a Herdade do Freixo e a Adega Cooperativa de Redondo. Não só por suas atrações culturais, mas também históricas, como o castelo e o centro medieval, a pequena vila merece estar no seu roteiro pela região.

Nisa: a Nice portuguesa

Segundo a lenda, nos primeiros anos de Portugal, um grupo de colonos franceses provenientes de Nice se instalou em uma vila ao sul do Tejo. Por isso, o lugar apresenta muitas características semelhantes à região da França, incluindo o nome Nisa.

A cidade velha tem uma paisagem única e foi construída em torno das ruínas de um castelo do século 18. Por isso, conserva muralhas com portões imponentes, que ainda podem ser visitados, como, por exemplo, a Porta de Montalvão e a Porta da Villa. A fonte renascentista e a igreja barroca também valem uma visita.

Vinho romano

O Alentejo é uma das principais regiões vitivinícolas de Portugal, e os amantes desses vinhos guardam um lugar especial no coração para as bebidas provenientes das cidades de Alvito, Cuba e Vidigueira. Embora a cooperativa de vinhos local tenha sido fundada em 1960, a cultura vitivinícola remonta à época dos romanos.

Aliás, até hoje muitos vinhos produzidos nesta região utilizam técnicas milenares, como é o caso da produção na Casa das Talhas. O vinho de talha é fermentado em grandes vasos de barro que podem conter até mil litros de vinho, elaborados de maneira idêntica a como os romanos faziam há 3 mil anos.

Como resultado, essa iguaria alentejana foi submetida recentemente a uma candidatura a Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade da UNESCO e aguarda sua nomeação.

Mantas alentejanas

A origem das grossas mantas de lã alentejanas remete ao século 13 e é uma tradição típica da região portuguesa. Embora tenham sido inicialmente usadas como proteção contra o frio pelos pastores do campo, com o passar do tempo se tornaram peças essenciais de decoração. São diferentes versões: para trabalho, simples ou listradas.

No entanto, devido aos seus padrões brilhantes, elas são usadas como colchas e tapetes e até mesmo como toalhas de mesa. É possível encontrar amostras na maioria das lojas de artesanato locais.

Veja outras 10 curiosidades sobre o Alentejo clicando AQUI.